Seu espaço

Acesse seu histórico clínico
e saiba novidades do seu interesse.

05/03/2014 - Depressão na gravidez sob a ótica da Medina Tradicional Chinesa

 

Sabemos que a mulher durante a gravidez encontra um grande desafio que é a nutrição do feto que se encontra dentro do seu bao gong (útero).

O ovo que se forma com a fecundação do óvulo pelo espermatozoide, depois que se implanta no endométrio uterino, vai se alimentar inteiramente do que o organismo materno lhe proporcionar. Esse pequeno ser se nutre com Xue (Sangue) e Jing (Essência) exclusivamente da mãe. Ele irá se desenvolver e multiplicar sua massa em cerca de 300 vezes, de ser unicelular a embrião, e mais 17 vezes como feto (da 9ª a 40ª semana).

Por esse motivo, entendemos que durante a gravidez ocorre um processo de consumo do Sangue e da Essência materna. O reflexo disso será mais ou menos evidente de acordo com as condições preliminares do Xue e do Jing ou daquelas que vão ocorrer ao longo da gestação. Entenda-se: condições alimentares, estresse emocional, estresse físico, condições herdadas própria da mãe.

O desequilíbrio originado pelo consumo aumentado causado pelo feto e um estoque, ou manutenção do estoque desses elementos, diminuído da mãe acarreta resultados nocivos, a um ou/e a outro.

Estão, portanto, as alterações do Xue e do Jing maternos na base de grande parte das patologias da gravidez.

Um terceiro elemento da fisiologia da MTC compõe os alicerces da boa função do ser. O Qi (energia) é a força que expressa o modo operativo do ser através do movimento. Seja o movimento dos órgãos, das vísceras, dos tecidos, do Xue e do Jing. Tem ação transformadora e é não substancioso por natureza. Ele se encontra intimamente ligado ao Xue e ao Jing, pois deles depende como base material para sua perpetuação e material básica de sua ação.

Por que então o problema se mostra na esfera do humor? Vocês hão de perguntar.

Em primeiro lugar, não separamos as alterações físicas das mentais. Mas também não seria correto negar que muitas vezes as alterações se apresentam manifestadamente localizadas, sobretudo, em uma dessas esferas.

As respostas para essa questão pode ser encontrada ao levantarmos a história clínica.

Alterações com predomínio do Shen (alma ou espírito) têm origem na maneira como nos relacionamos com o mundo, o que sentimos quando interagimos com ele, desde o nascimento. Podendo derivar também do período da vida uterina (na configuração do céu anterior) ou mais longe, do carregamento genético (ou jing – essência) recebida dos pais.

Eles determinam padrões reacionais que se expressão sobre uma base constitucional, onde predominam características tanto morfológicas quanto caracterológicas. Não entraremos em detalhes sobre esse assunto. Ele só é importante para ressaltar que de acordo com nossa constituição temos maior ou menor chance de reagirmos de uma forma. Tocando-nos mais algumas manifestações sentimentais.

No caso da MTC, as constituições estão diretamente relacionadas a influência dos órgãos e consequentemente a sentimentos e emoções que correspondem a eles. Assim, de uma forma simplificada dizemos que há correspondência entre: Coração e a alegria, Fígado e a raiva, Rim e o medo, Pulmão e a tristeza, Baço/pâncreas com a meditação. Conceito que pode ser ampliado.

Será mais fácil entender abordando por outro prisma.

O que chamamos de Depressão é um conjunto variável de sintomas cuja manifestação crucial é a falta de ânimo, de interesse pelas coisas e de prazer quando estas são realizadas. Como assim define o tradicional DSM-IV.  

Logo, de uma forma bem ampla e preliminar podemos dizer que essa alteração do humor está relacionada ao Shen – alma ou espírito – que é conjugado, sintetizado ou reside no Coração. (O que é o espírito de uma pessoa se não o seu humor?)

O órgão (Coração), que também alberga a mente, faz a síntese daquilo que anima qualquer ser e está comprometido na sua manifestação mais sutil, pois expressa o modo de ser imaterial e a motivação de vida do indivíduo. Importante ressaltar que já agora falamos de uma porção mais etérea da expressão do Coração, pois trata do não substancioso.

Diz-se que o brilho, a vivacidade, a mentalidade luminosa de uma pessoa está expresso no Shen do Coração.

Quando o Shen e a energia do Coração se encontram prejudicados outras funções a ele creditado também se veem comprometidas, como a relação de sono e vigília, sendo assim, é comum a insônia e a hipersonia. Isoladas ou simultaneamente, mais comumente.

O “sentimento” ou emoção que expressa a alma do Coração é a alegria sendo natural que esta esteja prejudicada.  Podemos entender alegria como prazer. O que faz com que o indivíduo não obtenha prazer nas atividades da vida. Como podemos ver, há amplo comprometimento que pode afetar inúmeras funções, como a libido, a sociabilidade e a vida em família.

Essa apresentação inicial demonstra o modo como se dá o envolvimento do Coração quando falamos de Depressão. Entretanto, ela precisa ser mais bem investigada para que sejam identificadas as outras almas que estão sendo prejudicadas e/ou prejudicando o desempenho equilibrando do todo do ser. Dessa forma, o diagnóstico será preciso e auxiliará o tratamento.

Fernando Pessoa, poeta maior, tinha heterônimos com que expressava seus vários eus, suas diversas almas interiores.

Todos nós, antes de sermos poeta, somos a combinação de muitos elementos que formam unidades (órgãos, tecidos etc.) inter-relacionadas e, portanto, somos muitos eus que se expressam por muitas vozes.

O ponderado racional pode dar lugar à cólera. Para em seguida aprisionar-se no medo, refugiar-se na tristeza ou regozijar-se na alegria. Todas essas vozes expressam os vários Shen, relacionados aos diversos órgãos, respectivamente, o Shen do Baço, do Fígado, do Rim, do Pulmão e do Coração.

A combinação dessas expressões é uma prova da nossa complexidade e compreende de forma intensa e profunda a noção de vida. O equilíbrio entre as diversas formas de expressão representa uma melhor forma de viver. O predomínio acentuado é sinal de desequilíbrio e dá origem ao patológico.

No que tange a depressão, ela atinge em primeira instância o elemento de maior expressão do espírito, o Shen do Coração. Mas em geral, coexistem outras expressões de Shen em comprometimento, com as quais podemos correlacionar os sinais e sintomas complementares do quadro de Depressão:

Dificuldade de concentração, atenção e raciocínio – Baço

Diminuição da autoestima e autoconfiança – Rim

Melancolia, tristeza, choros – Pulmão

Alteração do apetite e do peso – Baço

Irritabilidade – Fígado

Frente à escassez de Xue e Jing a firmeza dos órgãos se vê abalada. Identificar aquele que melhor representa a origem do desequilíbrio, juntamente com a recuperação do Xue e do Jing e a harmonia do Qi serão os objetivos do tratamento.

 

No próximo artigo haverá o relato de um caso clínico que poderá ilustrar bem aquilo que aqui foi dito.

 








Rua Marquês de São Vicente, nº 124 - lj. 210 e 211
Gávea - Rio de Janeiro - RJ
CEP: 22.541-040
Fones: (21) 2294 4113 / 8743 5530