Seu espaço

Acesse seu histórico clínico
e saiba novidades do seu interesse.

05/03/2014 - Depressão na gravidez

Sabe-se que durante a gravidez a mulher tem um risco aumentado de apresentar um quadro depressivo, embora muitas vezes a condição possa passar despercebida pelo obstetra, fato que tem preocupado pesquisadores americanos. A depressão durante a gravidez (pré-natal) pode mesmo ser considerado como mais prevalente que a depressão pós-parto, a qual pode estar relacionada.

As intensas modificações hormonais que ocorrem nesse período parecem estar implicadas no desenvolvimento do quadro, bem como a história psicossocial da paciente.  É muito importante que a grávida tenha um tratamento adequado, pois há consequências tanto para a mãe quanto para a criança.

Depressão na gravidez que não é tratada ou é tratada de modo incompleto tem sido associada com complicações como: pré-eclâmpsia, parto pré-maturo e parto prolongado. Alguns estudos também demonstraram uma associação entre doença mental e tabagismo materno, e alterações da regulação endócrina, imunológica e depressão pós-parto, que podem impactar o desenvolvimento da criança.

Diagnóstico de depressão é feito por uma avaliação e exame clínico. Alguns critérios são utilizados dentre eles os referendados pelo DSM-IV e o CID-10, catalogadores de enfermidades que orientam decisões clínicas. Entre os sinais e sintomas indicativos de depressão encontramos: humor deprimido, diminuição significativa do interesse ou prazer em quase todas as atividades; alteração significativa no peso e no apetite; Insônia ou hipersonia; agitação ou lentidão psicomotora quase todo dia (observável pelos outros), fadiga e perda de energia; sentimento de falta de valor ou culpa excessiva ou inapropriada, indecisão ou diminuição na habilidade para se concentrar; pensamentos recorrentes de morte ou suicídio. Em geral, o clínico se baseia na presença de mais de um desses sinais e sintomas para tentar “fechar” o diagnóstico, dando como certo um quadro de depressão que necessita de acompanhamento e tratamento.

Como todas as condições médicas relacionadas à gravidez o tratamento medicamentoso surge como problema a ser levado em consideração. Embora se acredite em uma relativa segurança no uso de medicamentos antidepressivos ainda existe muita preocupação quanto ao seu emprego pela possível ligação com a ocorrência de partos de fetos pré-maturos, dificuldades de adaptação neonatal e malformações cardíacas congênitas (Udechuki, 2010).

Uma revisão de literatura realizada pela prestigiosa The Cochrane Library (Dennis, 2013) se dispôs a efetuar uma avaliação de trabalhos científicos que investigavam a eficácia de intervenções terapêuticas diferentes das mais comuns: medicamentosas, psicológicas e psicossociais. Nesse contexto, se encontravam trabalhos científicos que avaliavam o tratamento por acupuntura. As autoras desse trabalho de meta-analise concluem que, apesar das limitações metodológicas encontradas nos trabalhos estudados, há uma crescente evidência de que a acupuntura pode ser benéfica para o tratamento da depressão.

Esse resultado é muito encorajador sendo importante dizer que os riscos do emprego da acupuntura por profissional habilitado são baixíssimos, o que confere segurança na sua prescrição.

Outro importante dado apresentado diz respeito a superioridade dos resultados obtidos nos casos em que foram utilizados tratamentos específicos de acupuntura para depressão, em comparação ao tratamento aleatório, que em muitos casos leva a pensar num efeito não específico do método.

Com vista a entender e clarear a questão o artigo em continuação – depressão na gravidez segundo a MTC - fará uma breve apresentação de como a medicina tradicional chinesa (MTC - base racional da acupuntura) entende o padecimento depressivo nas mulheres grávidas.

 

Bibliografia

Dennis CL, Dowswell T. Interventions (other than pharmacological, psychosocial or psychological) for treating antenatal depression. The Cochrane Library, issue 7, 2013. http://www.thecochranelibrary.com

Udechuku A, Nguyen T, Szego K. Antidepressants in pregnancy: a systematic review. The Royal Australian and New Zeland College of Psychiatrists. 978 - 996, 2010

Dynamed – depression – diagnosis – making the diagnosis - https://dynamed.ebscohost.com/

 








Rua Marquês de São Vicente, nº 124 - lj. 210 e 211
Gávea - Rio de Janeiro - RJ
CEP: 22.541-040
Fones: (21) 2294 4113 / 8743 5530