Seu espaço

Acesse seu histórico clínico
e saiba novidades do seu interesse.

18/07/2013 - Acupuntura para mulheres grávidas ou que querem engravidar I - apresentações anômalas

Semanas atrás fui procurado por uma paciente que se encontrava na 37ª semana de gestação cujo feto se encontrava em apresentação córmica. 

Essa é a designação para descrever a situação na qual a criança está posicionada de forma transversal dentro do útero tendo o seu ombro direcionado para o colo uterino e canal do parto, por onde ela deverá passar. 

Pode-se dizer que essa é uma indicação tradicional para a realização de cesariana, pois esse tipo de situação é das mais arriscadas para a saúde fetal e mesmo para a sua viabilidade. O parto vaginal nessas situações é extremamente traumático, praticamente inviável e crítico do ponto de vista médico.

No caso da paciente que me procurou o parto deveria ser realizado através mesmo de uma cesariana já que ela havia tido outro bebê há menos de 2 anos, fator que desfavorece a indicação da realização de um parto vaginal pelo risco de haver uma ruptura uterina no local de uma cicatriz até certo ponto recente.

A questão se resumia a maior ou menor facilidade para a realização da cesariana. 

No caso da apresentação córmica a cirurgia apresenta maior risco, requer uma técnica diferenciada e mesmo a mudança da incisão cutânea (o corte feito na pele) de transversa e baixa (aquela que não é visível quando de biquíni na praia) por uma longitudinal que vai da cicatriz umbilical até a região pubiana. 

Portanto, se o feto saísse da situação em que se encontrava seria um alívio para a mãe e a médica obstetra.

Como médico acupunturista e também especializado em obstetrícia estou acostumado a fazer tratamentos para a reversão do posicionamento fetal, geralmente dos fetos que se encontram em apresentação pélvica  (com o bumbum virado para o colo/canal do parto) até porque esta é muito mais frequente que a apresentação córmica. (pélvica: 3 a 4 em 100; córmica: uma a cada 300 ou 400 gestações).

A literatura milenar chinesa indica a técnica e a científica contemporânea presenta dados que comprovam essa tradição mesmo que não haja uma explicação sobre o mecanismo desencadeado pelo estímulo sobre o ponto de acupuntura específico utilizado e as reações uterinas e fetais geralmente observadas.

Todavia, não foi o fato de ter menor experiência no tratamento da apresentação córmica o que em princípio me deixou preocupado quanto ao resultado. 

Mas sim o fato dela já estar na 37ª semana de gestação - eu tinha uma única experiência bem sucedida (na única tentativa) em gestante na 36ª semana com feto em apresentação pélvica.

Quando a gravidez se encontra tão avançada, como no caso dessa paciente, a relação entre o feto e o útero se torna muito próxima. O que quer dizer que sobra muito pouco espaço para uma movimentação ampla. 

No início da gestação o feto esta mergulhado em uma grande massa de líquido amniótico que progressivamente vai diminuindo em oposição ao crescimento da sua massa corporal.

Geralmente fazemos o tratamento quando a gestante se encontra entre a 32ª e 35ª semanas de gravidez. 

Momento em que há uma tendência a fixação de posicionamento, embora ainda exista suficiente espaço para manobras.

Conciliar o desafio de tentar a mudança da situação fetal, as expectativas da gestante e os riscos que qualquer procedimento médico implica eram o principal nesse caso.

Felizmente ela havia sido recomendada pela obstetra de sua confiança e que me conhecia de longa data. 

Mesmo assim nos cercamos de precauções.

Depois da avaliação clínica obstétrica e chinesa tradicional efetuamos um único tratamento, que não demorou mais que 40 minutos.

Após a simples e aparentemente misteriosa intervenção a paciente queria saber como poderia reconhecer a mudança de posição do bebê. 

Adverti-lhe que seria normal sentir uma maior movimentação do feto, algumas contrações e que certamente sentiria uma movimentação mais intensa e aguda que não passaria despercebida. Esse seria o sinal.

Passavam-se os dias e eu me perguntava o que teria acontecido com minha paciente. Pedi então que minha secretária entrasse em contato com ela. Quando conseguiu ficamos sabendo que o havia virado e a cesariana fora realizada com sucesso







Rua Marquês de São Vicente, nº 124 - lj. 210 e 211
Gávea - Rio de Janeiro - RJ
CEP: 22.541-040
Fones: (21) 2294 4113 / 8743 5530